A Polícia Militar de Rondônia prendeu na quinta-feira (31) oito pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha especializada em roubo de caminhonetes no Acre. A PM chegou até os suspeitos após a quadrilha roubar e matar um taxista que atuava no Acre na noite de quarta-feira (30) na BR-364.

De acordo com informações da polícia, dois criminosos abordaram o taxista de Nova Califórnia, Ronaldo Vacaro, em Rio Branco, e se passaram por passageiros. Após seguirem até Nova Califórnia, onde o taxista deixou um casal de passageiros, os criminosos anunciaram o assalto, roubaram a caminhonete e espancaram o taxista até a morte. O corpo de Ronaldo foi encontrado jogado às margens do Ramal Linha 4, próximo ao distrito de Extrema.

Com a ajuda do sistema de rastreamento da caminhonete modelo Amarok, os policiais conseguiram localizar o veículo em Guajará Mirim, divisa com a Bolívia, onde seria vendida. No momento da ação da polícia, um dos criminosos, Emerson Gomes, foi preso em flagrante e afirmou que foi contratado por Pablo Suares, para dirigir a caminhonete roubada até Guajará Mirim. Entre os criminosos estão cinco acreanos e 3 rondonienses.

A polícia fez buscas e e conseguiu prender mais 7 suspeitos de integrar a quadrilha, inclusive o homem apontando como mandante do roubo, Pablo Suares. Foram presos também Eliásio da Silva, Tayron Flores, Miguel Farias, Eduardo da Silva, Camila de Carvalho e Pablo Feitosa.

O jovem Eduardo da Silva estava com uma quantia de R$ 920 reais, uma arma calibre 38 e os documentos da vítima Ronaldo Vacaro, além dos cartões dos filhos e esposa do taxista.

A imprensa de Rondônia divulgou que os criminosos Saimon da Silva Vieira e Eduardo da Silva Feitosa confessaram o assassinato do taxista por meio de asfixia. Eles disseram que mataram Ronaldo e jogaram o corpo no ramal.

Todos os presos responderão pelos crimes de latrocínio, associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo.