A justiça acreana absolveu o advogado Manoel Elivaldo Júnior do crime de associação a grupo criminoso, pelo qual ele respondia. Manoel foi preso em novembro do ano passado e estava em liberdade provisória com uso de tornozeleira eletrônica desde fevereiro.

Saiba mais: “Sou bandido mesmo; trabalho para o Comando Vermelho”, diz advogado em novo vídeo

Manoel foi preso de forma preventiva depois que dois vídeos começaram a circular em grupos de WhatsApp nos quais em um, Junior aparecia com uma submetralhadora e no outro afirmava trabalhar para a facção Comando Vermelho.

Após investigações, a justiça entendeu que não havia comprovação que Manoel tivesse vínculo com facções. A defesa do advogado afirma que os vídeos não passaram de exibicionismo e foram enviados à sua ex-mulher. Durante o processo, foi alegado ainda que Júnior estaria com problema psicológico.

Entenda o caso

O primeiro vídeo de Manoel começou a circular em grupos de WhatsApp no dia 22 de novembro. Após a prisão do advogado, no dia 24 de novembro, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AC) suspendeu o registro profissional do acusado. Ema 18 de dezembro,ele foi denunciadoao Ministério Público acusadoo de promover, dar suporte financeiro, participar de facção criminosa, e também pelo porte de arma.