Ação da DRE ocorreu no bairro Laélia Alcântra e queria prender Jardkson Sankly e o pai dele. Primo Wendson de Almeida foi encontrado na casa e acabou preso por tráfico.

Os primos Jardkson Sankly Dutra de Lima e Wendson de Almeida Dutra de Lima foram presos na terça-feira (24) suspeitos de integrarem uma facção criminosa e por tráfico de drogas. A ação da Polícia Civil do Acre ocorreu no bairro Laélia Alcântra, em Rio Branco. O pai de Jardkson Sankly, que também é investigado, conseguiu fugir.

A dupla foi apresentada nesta quarta-feira (25) na Divisão de Investigação Criminal (DIC) pelas delegacias de Repreesão a Entorpecentes (DRE) e Especializada de Combate a Roubos e Extorsões (Decore). Duas motocicletas foram apreendidas na ação.

O coordenador da DRE, delegado Pedro Resende, falou que essa é a terceira boca de fumo fechada em três dias. Além dessa, a polícia prendeu uma família suspeita de vender drogas em um lanche. O terceiro flagra ocorreu na segunda (23) no bairro Cidade Nova.

Droga e dinheiro foram apreendidos (Foto: Aline Nascimento / G1)

Droga e dinheiro foram apreendidos (Foto: Aline Nascimento / G1)

“Os alvos eram o Jardkon e o pai dele Jackson. São conhecidos como traficantes na região do Laelia Alcântara e integrantes de organizações criminosas. Durante o cumprimento de mandados de busca descobrimos que o primo dele o apoiava no tráfico e também é membro de organização”, contou Resende.

O delegado Sérgio Lopes, da Decore, falou que a delegacia vai continuar com as investigações para descobrir se os suspeitos estão envolvidos diretamente nos roubos das motos ou apenas receptavam.

“Uma ação que visava apreender drogas acabou encontrando produtos de roubos. O tráfico de drogas está relacionado a diversos outros crimes”, afirmou Lopes.

Mulher presa na Cidade Nova

A primeira apreensão da DRE feita essa semana ocorreu no bairro Cidade do Povo, região do Segundo Distrito da capital acreana. Segundo as investigações, Jenilsa da Silva Cunha, de 39 anos, era responsável por cadastrar novos membros da facção da qual ela pertence.

Cartas com controle de tráfico de drogas também foram apreedidas (Foto: Aline Nascimento / G1)

Cartas com controle de tráfico de drogas também foram apreedidas (Foto: Aline Nascimento / G1)

“A Jenilsa é conhecida como Gabriela, usava a casa dela para vender drogas e ainda recepcionar membros de uma organização criminosa, uma vez que conseguimos arrecadar na casa, diversas fichas de cadastros. A droga, as cartas e uma grande quantidade de dinheiro também foram apreendidas”, acrescentou o delegado Pedro Resende.