Jones Silva foi atropelado por um motociclista em 2017 quando atravessava a rua. ‘Você pode se ferir, ou ferir o próximo’, disse ao pedir conscientização dos condutores.

O agente de trânsito Jones Costa Silva retornou ao trabalho após sete meses de recuperação. O coordenador do Comando de Fiscalização de Trânsito (Ciftran) foi atropelado por um motociclista em setembro de 2017, no dia do próprio aniversário.

No acidente, Silva sofreu achatamento do crânio, quebrou a clavícula, a perna, o cotovelo e permaneceu 40 dias internado, sendo 20 na Unidade de Terapia Intensiva. Em novembro de 2017, ele gravou um vídeo pedindo maior conscientização no trânsito.

“O tratamento foi bem, foi rápido, voltei a andar muito rapidamente. Foi tudo muito bom. A gente volta com uma força, o que aconteceu comigo não deve acontecer com ninguém. Agora é mais forte, o trabalho é mais interessante”, destaca.

Jones Silva retornou a trabalho após sete meses em recuperação após ser atropelado (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Jones Silva retornou a trabalho após sete meses em recuperação após ser atropelado (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Silva comemorou o retorno e voltou a pedir que os condutores tenham cuidado redobrado na direção. Ele pediu também que os motoristas não usem os veículos de forma irracional.

“Você pode se ferir, ou ferir o próximo. O condutor tem que ter atenção sempre. O Detran tem investimentos em engenharia, educação e fiscalização. Não use veículo de forma irracional, dirija sempre preocupado com o próximo e cuidado, sempre”, destacou.

Para a mulher Regiane Silva, que viveu momentos difíceis durante a recuperação, a palavra que resume o retorno do marido à rotina é gratidão.

“O apoio dos amigos, da família, as orações. Eu digo assim, primeiro agradecer a Deus, pois no momento que a gente vê ele voltar a gente agradece. Por alguns momentos achávamos que seria impossível, mas Deus fez um milagre na vida dele”, comemora.

Regiane comemorou retorno do marido ao trabalho e agradeceu aos amigos e familiares pelo apoio (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Regiane comemorou retorno do marido ao trabalho e agradeceu aos amigos e familiares pelo apoio (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

O agente de trânsito Anderson Sales é colega de trabalho de Silva destaca que o amigo é um exemplo de força e determinação.

“É um exemplo de vida, ficamos muito felizes, isso é um milagre. Acho que Deus tem um propósito na vida dele. Quem viu ele no chão, no momento do acidente, achou que ele não iria se recuperar”, finaliza.

Entenda

O acidente ocorreu na Avenida Ceará em 14 de setembro do ano passdo, em Rio Branco, no dia em que Silva fazia aniversário e vários amigos postaram felicitações no Facebook. O coordenador ficou em estado grave e foi encaminhado ao Hospital de Urgência e Emergência (Huerb) da capital.

Já o condutor da motocicleta, Dyego Cabreiro de Lima, de 21 anos, também foi levado à unidade com hemorragia cerebral e foi entubado.

Lima não tem carteira de habilitação e responde a um processo por desobediência na Vara de Execuções de Penais e Medidas Alternativas, segundo o Departamento de Trânsito (Detran-AC).

Na ocasião, o pai do jovem lamentou o ocorrido e disse que o filho havia tirado a primeira carteira e perdeu antes de chegar o prazo final da provisória.

“Ele perdeu o direito por dois anos e já estava tirando outra novamente, aí foi acontecer isso infelizmente. Meu filho é acadêmico de engenharia civil, tem residência fixa, é casado e é um cidadão de bem”, declarou Manoel Lima na época.

Jones Silva atravessava rua quando motociclista o atropelou (Foto: Débora Ribeiro/Rede Amazônica Acre)

Jones Silva atravessava rua quando motociclista o atropelou (Foto: Débora Ribeiro/Rede Amazônica Acre)

Seis dias depois do acidente, o coordenador acordou e começou a responder a estímulos. A informação foi repassada pela própria esposa. Na época, ele mexia os dedos e continuava sedado. O quadro de saúde seguia evoluindo bem. Já no início de novembro de 2017, Silva saiu da UTI do Huerb e foi transferido para o Hospital das Clínicas (HC).

Depois de 40 dias internado, Jones Costa Silva deixou o Hospital das Clínicas (HC), em Rio Branco e voltou para casa. Segundo a esposa dele, o coordenador ainda não anda, faz fisioterapia para recuperar 100% dos movimentos e está retomando a consciência aos poucos. De acordo com ela, o profissional ainda deve permanecer cerca de dois meses afastados do trabalho.