O hospital de Santa Rosa, mantido pelo Governo do Acre, teve momentos de muita turbulência neste domingo. E o caos nos corredores da unidade, agravado pela superlotação e bastante reclamações, não é de agora. A enfermeira Gabriela Pontes, aprovada em concurso de 2013 e convocada para trabalhar no final do ano passado, está ausente desde o dia 9 de março.

A moça viajou para Porto Velho. Um segundo enfermeiro entrou de férias e um outro é lotado como porteiro. Uma mulher que não pertence aos quadros da Secretaria de Saúde (Sesacre) foi chamada para ajudar no atendimento a pacientes. Há dois médicos na cidade que precisam de apoio da enfermagem.

A diretora do hospital, cujo primeiro nome é Francisca, se deslocou para Rio Branco há cerca de 40 dias, e é acusada por funcionários de acobertar problemas que afeta diretamente os pacientes e sobrecarrega os poucos servidores. Gabriela não atendeu aos telefonemas da reportagem, através do celular pessoal dela ( 69 999231-..39).

A denúncia feita por trabalhadores que pediram anonimato foi confirmada por um dos médicos. Oficialmente, Gabriela deixou dito que faria uma pós graduação em Rondônia, mas os colegas estranham que a servidora passe tanto tempo fora, mora num hotel (quando está em Santa Rosa), seja escalada para um número excessivo de plantões e ainda receba seu salário integral.

A diretora não foi localizada.

Fonte ; Acjornal