o Distrito Industrial, uma cena chamou a atenção da imprensa e dos cidadãos que passavam por um terreno do bairro: 11 ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) se encontram estacionadas no local. Os veículos, que não estão sucateados, ficam sujeitos à deterioração por ação do tempo.

Em relação às ambulâncias, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), esclarece que de acordo com a Portaria nº 2.048/2002 do Ministério da Saúde que regulamenta o funcionamento do SAMU em todo o país, as ambulâncias possuem um tempo de vida útil de 5 anos. Depois desse período, as ambulâncias são substituídas por novas viaturas.

Em seguida, como é regulamentado para todas as unidades de SAMU do Brasil, é feito um processo de desfazimento junto ao Ministério da Saúde e as ambulâncias são colocadas em leilão.

No caso das viaturas mostradas na reportagem, o processo encontra-se no Ministério da Saúde e as mesmas devem ser leiloadas brevemente.

É importante ressaltar que essas ambulâncias não possuem mais condições de funcionamento e o custo oneroso (que varia de 90 a 120 mil reais por ambulância) não justifica a recuperação.